Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Fundos de Investimentos

Fundos Multimercados

Lorenzo Frazzon, CNPI
Escrito por Lorenzo Frazzon, CNPI em 14 de abril de 2021
Junte-se a mais de 1.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Os fundos multimercados tem crescido muito no Brasil, principalmente por causa das taxas de juros estarem nas mínimas históricas.

Por isso muitas pessoas gostariam de diversificar seus investimentos em renda fixa e variável, mas não se sentem seguras pra fazer isso sozinha.

Então, qual seria uma boa alternativa para essas pessoas?

A resposta está nos fundos multimercado e nesse artigo iremos explicar tudo sobre eles. 

Fundos multimercados são fundos de investimentos que o gestor tem total liberdade para escolher qualquer classe de ativo e sua proporção na carteira. 

Então qual a diferença de fundos de renda fixa, fundos de ações, fundos cambiais e os fundos multimercados? 

Fundos de renda fixa devem investir pelo menos 80% do seu patrimônio em ativos de renda fixa (títulos públicos, privados, etc.). 

Os fundos de ações devem investir pelo menos 67% do seu patrimônio em ativos de renda variável. 

Já os Fundos cambiais precisam investir pelo menos 80% do seu patrimônio em ativos relacionados à moeda estrangeira

Os fundos multimercados não têm regra específica, e são divididos em categorias mais específicas pela ANBIMA, chamadas de 2º e 3º níveis que serão explicadas na sequencia.

Fundos Multimercados – 2º Nível

Alocação – Nesse caso, existe um foco do fundo na alocação em diferentes tipos de ativos de forma indexada. Por exemplo, o gestor decide alocar 20% em renda fixa, 50% em renda variável e 30% em câmbio.

Estratégia – Aqui o gestor, tendo total liberdade, tem um foco em alocar a carteira do fundo em diferentes ativos conforme suas diferentes estratégias pro momento e muitas vezes ela reflete o próprio estilo do gestor de investir. 

Investimento no Exterior – Essa categoria representa os fundos que na sua carteira alocam pelo menos 40% dos seus ativos no exterior. 

Fundos Multimercados – 3º Nível

A classificação de 3º nível é a que você geralmente vai ver na sua corretora.

Para não deixar o artigo pesado vamos detalhar cada categoria em outro artigo que logo publicaremos. (fazer video)

Os fundos por alocação são divididos em Balanceados e Dinâmicos.

Fundos por estratégia possuem uma ampla gama de classificações que são elas: Macro, Trading, Long/Short Direcional, Long/Short Neutro, Juros e Moedas, Livre, Capital Protegido e Estratégia Específica.

 A variedade de fundos realmente é grande, por isso é importante saber comparar eles de forma correta.

Fique atento às taxas! 

Nos fundos multimercado existem dois tipos de taxas que o investidor paga: 

Taxa de administração – Ela existe para cobrir os custos operacionais, custodiante, administrador, distribuidor e o próprio do gestor. 

Taxa de performance – Essa taxa é um “prêmio” para o gestor. Para calcular ela, é escolhido um índice de referência, conhecido também como benchmark, que, se batido esse índice (seja ele CDI, Inflação, Ibovespa…) , o investidor paga uma taxa de bonificação pelo bom desempenho do fundo. 

Como funciona a tributação sobre esses fundos? 

A tributação para fundos multimercados segue a tabela regressiva do imposto de renda.

Fundos de Curto Prazo
  • 22,5% em aplicações que permanecem por até 180 dias
  • 20,0% em aplicações que permanecem 181 dias ou mais.
Fundos de Longo Prazo
  • 22,5% em aplicações que permanecem por até 180 dias
  • 20,0% nas aplicações que permanecem de 181 dias a 360 dias
  • 17,5% em aplicações que permanecem de 361 dias a 720 dias
  • 15,0% em aplicações que permanecem por 721 dias ou mais.

Por se tratar de um fundo de investimento, ele tem também o come-cotas, imposto de renda que incide semestralmente nos meses de maio e novembro. 

E em caso de resgates de aplicações feitas há menos de 30 dias, há também a incidência de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Sua alíquota varia entre 96% e 0%. 

Quais são os riscos? 

No que se refere aos riscos é importantes saber: 

Risco de mercado – Por ser um fundo que pode investir em ativos de renda variável, pode existir a volatilidade no preço dos ativos. 

Risco de liquidez – Geralmente esse tipo de fundo para ter uma estratégia mais consolidada, ele precisa manter o dinheiro investido o mais ‘’parado’’ possível, principalmente porque os ativos da carteira que compõem o fundo podem ter pouca liquidez. Por isso, alguns fundos multimercados estabelecem um prazo de resgate um pouco mais longo. 

Quais são as vantagens? 

A principal vantagem de um fundo multimercado é a gestão ativa especializada. 

Um gestor profissional de fundos tem total liberdade, possibilitando melhor flexibilidade e diversificação da carteira, além de poder utilizar estratégias complexas que um investidor pessoa física muitas vezes não conseguiria fazer sozinho. 

Além disso, a diversificação ativa da carteira permite o investidor de alcançar melhores oportunidades de rendimentos e assumir um risco mais controlado devido às diferentes alocações de ativos. 

Quais são as desvantagens dos Fundos Multimercados? 

Como todo tipo de investimento, o risco está sempre lá. Por isso é importante analisar o histórico e a estratégia do fundo antes de investir. 

Também não existe garantia de resultado ou proteção em caso de perdas, como o FGC que cobre possíveis calotes para títulos de renda fixa. 

Por último, deve-se prestar muita atenção às taxas cobradas pelo fundo, principalmente nos fundos de gestão passiva.

Nos fundos de gestão ativa é sempre importante analisar o custo benefício de cada fundo com cuidado.

Eu não me importo de pagar uma taxa alta desde que meu retorno real seja alto também.

Você sabia que o melhor fundo de investimento do mundo também possui as maiores taxas de administração e performance ???  

Então, como investir? 

Grande maioria dos bancos oferecem fundos multimercados a seus clientes. Entretanto, as taxas de administração geralmente são altas e os resultados pouco agradáveis. 

Uma alternativa é investir nesses fundos através de uma corretora de valores independente. Nelas você vai acessar inúmeros fundos de investimento que geralmente você não tem acesso no banco. 

Portanto, ao escolher um fundo, é importante avaliar o seu histórico, as taxas cobradas, as estratégias e o risco, para saber se o fundo avaliado está de acordo com seu perfil de investidor, seja você conservador, moderado ou agressivo. 

Olá amigo investidor!

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *